Unção dos doentes

Jesus Cristo, Filho de Deus, encarnou no seio da Virgem Maria e fez-se Homem para nos salvar e nos conduzir à vida divina. Pela Sua Paixão, Ele entregou-se por cada um de nós e ressuscitou ao terceiro dia para nos dar a vida que não tem fim. Hoje, Ele permanece e a sua obra continua presente na Igreja através dos sacramentos. Os sacramentos da Igreja tornam presentes as palavras e os gestos salvíficos de Jesus para nos dar a vida de Deus. Os sacramentos instituídos por Jesus são sete: o Baptismo, a Confirmação, a Eucaristia, a Penitência, a Unção dos Enfermos, a Ordem e o Matrimónio. Estes sacramentos abrangem todas as etapas da nossa vida e dão sentido aos momentos mais cruciais da vida de um cristão.

O Senhor Jesus é o médico das nossas almas e dos nossos corpos. Ele perdoou os pecados ao paralítico e restitui-lhe a saúde do corpo (Mc 2, 1-12). Ele hoje deseja que a sua Igreja continue a sua obra de cura e salvação através da força do Espírito Santo. É este o sentido dos dois sacramentos da cura: A penitência ou reconciliação e a unção dos enfermos.

A Unção dos Enfermos

 - Escutemos São Tiago na sua Epístola:

Algum de vós está doente? Chame os presbíteros da Igreja e que estes orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o doente e o Senhor o aliviará; e, se tiver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. (Tg 5, 14-15).

 - O dom do sacramento dos Enfermo... Porquê?

O Sacramento da Unção dos Enfermos vem em auxílio do cristão confrontado com as dificuldades de uma doença grave ou com as limitações da idade avançada. Pode-se receber este sacramento da unção sempre que se é acometido por uma doença grave ou pela idade avançada.

Assim sendo, o cristão confrontado com uma doença grave ou com as dificuldades de saúde, próprias da idade avançada ou quando é submetido a uma operação de risco deverá solicitar aos presbíteros este sacramento.

 - Quando se deve receber este sacramento?

Em plena consciência e lucidez, ainda antes de perder a consciência. Não se trata da extrema unção mas sim de um sacramento dos vivos que vem em auxílio daqueles que padecem uma doença grave (para os moribundos o sacramento próprio é a comunhão do Corpo de Cristo em forma de viático). Este sacramento pode receber-se sempre que haja uma recaída do estado de doença, uma inquietação ou uma nova doença grave.

 - Como se recebe este sacramento?

Só os sacerdotes (Bispos e Presbíteros) podem administrar este sacramento. Os dois sinais principais são a imposição das mãos (os sacerdotes rezam sobre os doentes) e a unção com o óleo santo dos enfermos benzido pelo Bispo diocesano na manhã de Quinta-Feira Santa, na fronte - sede do pensamento - e nas mãos - sede da acção.

Depois de rezar sobre o doente, o Sacerdote toma o Santo Óleo e unge o doente na fronte e nas mãos, dizendo uma só vez:

Por esta santa Unção
e pela sua infinita misericórdia,
o Senhor venha em teu auxílio
com a graça do Espírito Santo
R. Amen.

para que, liberto dos teus pecados, Ele te salve
e, na sua bondade, alivie os teus sofrimentos.
R. Amen.

 - Quais os frutos deste sacramento?

Uma força especial e um conforto para viver, e, se for essa a vontade de Deus, uma melhora do estado de saúde. Mesmo quando não há melhoria do estado de saúde, este sacramento permite experimentar a paz e a coragem para suportar os sofrimentos da doença e da idade avançada com uma graça de força, de perdão e de purificação.

Os frutos do sacramento são:

  • A união do doente ao sofrimento e à Paixão de Jesus para o seu bem e para o bem de toda a Igreja.
  • O reconforto, a paz e a coragem para suportar os sofrimentos da idade avançada e da doença.
  • O perdão dos pecados, quando a doença já não permite a confissão sacramental.
  • As melhoras da saúde, se for essa a vontade de Deus e se no plano salvífico de Deus, contribuir para o seu crescimento espiritual.
  • A preparação para a morte, passagem à vida eterna.

 

    - Como preparar?

  • Para receber qualquer sacramento o cristão deve estar em estado de graça, sem consciência de culpa grave.
  • Deve rezar e pedir a Deus que o ajude a conformar-se com a Sua vontade Santa.
  • Deve contemplar Cristo crucificado e pedir-lhe a graça de se identificar com a sua paixão gloriosa e de contribuir assim para o crescimento espiritual da Igreja.
  • Não deve receber este sacramento esperando uma cura milagrosa. O fruto principal do sacramento é a graça da pacificação e do alívio espiritual e corporal das dores. Se for a vontade de Deus e se contribuir para o bem da Igreja, o doente experimentará também as melhorias significativas.

 

 

 

 

[Volta]

Paróquia de Carnide © 2012 Todos os direitos reservados. webmaster:JJS

Crie o seu site grátisWebnode