Matrimónio - 16 - Matrimónio: quatro palavras-chave de um compromisso de amor

18-10-2012 22:10

Liberdade


Viver em liberdade no Matrimónio implica encontrar o necessário equilíbrio. Há casais que se sufocam em demasiadas exigências, querendo estar juntos 24 horas por dia, não tendo cada um o seu próprio espaço, como quando um dos membros do casal é repreendido pelo outro por 10 minutos de atraso.

Por outro lado, há casais em que a liberdade é tanta, que se dispersam, e cada um faz o que quer, para seu lado. Por vezes, com este ritmo não há um mínimo de vida comum assegurada.

Deve haver cedências mútuas, de parte a parte. No casamento, deve-se estar atento ao outro para se descobrir a medida certa da sua liberdade, e respeitá-la. O casal deve fazer um esforço constante para permitir a cada um criar o seu espaço, existir na sua verdade singular, exprimindo as suas riquezas próprias, tais como a alegria, o carinho, o prazer a tristeza.


Fidelidade


A fidelidade deve ser entendida de uma forma abragente e não de um modo redutor. É um voto de confiança recíproca para cumprir as promessas do matrimónio, confere uma solidez duradoura para um projecto de vida comum.
As alianças tricadas simbolizam este compromisso.


Fecundidade


O matrimónio tem uma dupla finalidade: o bem dos esposos e a transmissão do dom da vida. Sendo este dois significados inseparáveis, da união dos esposos resulta a fundação de uma nova família.
Desta forma, o matrimónio chama os espososa participar no Amor do criador de Deus, como pais de uma nova vida.


Indissolubilidade


Para sempre...
O matrimónio não se trata apenas de um contrato jurídico, mas de um pacto de aliança abençoado por Deus e feito em liberdade.
Amar para toda a vida é um grande desafio. Implica aceitar para sempre o outro, com as suas virtudes e limitações, e tudo o que o futuro trouxer. Obriga a um esforço de renovação para evitar a rotina.